Flerte | Universo Paralelo

Flerte

Por 22:13 10 comments
Marujo. - Me livrei do mal chamado Hornet.
Dominus -  Sério?
Marujo - Sim. Não Suporto!
Dominus - Estou há um mês sem isso.
Marujo - Eu acho que ativa ainda mais minha depressão intrínseca. Gostava no início.
Dominus - Eu queria muito frequentar lugares que rolassem um cara a cara, um jogo de olhares igual aqueles de filmes....




Aos 19 Dominus foi apresentado as salas de bate-papo. Achou o máximo! Agora podia driblar seu medo e se relacionar com caras que seguramente eram gays. Entrar em salas de bate-papo virou um hábito diário, praticado religiosamente no mesmo horário. O tempo passou, Dominus conheceu muitos caras, tinha uma lista enorme de amigos no msn, mas foi com poucos que a relação virtual se materializou. Dominus cansou-se dos bits, já não suportava mais as conversas vazias que nunca saiam do virtual; das buscas constantes em chats; da sensação de vazio após passar horas naquilo, que no começo foi sua redenção e que se tornara com o passar do tempo um de seus pesadelos. Aos 20, Dominus cansou-se das salas de bate-papo, aposentou o velho e conhecido chat. Comprou um smartphone e instalou todas as aplicações de relacionamento gay. Ficou maravilhado com o leque de possibilidades que a tecnologia lhe trazia. " -Viva a tecnologia!" Bradava admirado.Não demorou muito para que Dominus notasse que na essência, o novo se tratava do velho com uma nova roupagem.  E não tardou para que os velhos sintomas, frutos da vida virtual, aparecessem novamente.










12 de junho. 90 contatos na agenda do celular. 
18 de junho. 60 contatos na agenda do celular. ***  - 30
01 de julho. 80 contatos na agenda do celular.  + 20
15 de julho. 68 contatos na agenda do celular. -12
01 de Agosto. 78 contatos na agenda do celular.  + 10
20 de Agosto. 60 contatos na agenda do celular.  - 18


Cansei desse apagar e gravar contatos na agenda do meu celular.Cansei do mundo virtual!
Leia-se: Grindr,Hornet,Scruff,Manhunt,Badoo, etc. Apps de pregação e sites de relacionamento já me renderam ótimas transas, paixonites de uma noite ou uma semana, momentos doces e sublimes, amigos, péssimas transas, situações embaraçosas, engraçadas, propostas bizarras e por aí vai. No entanto, os sentimentos que reinaram nesse tempo que os utilizei foi o de vazio atrelado à ansiedade por uma nova mensagem, frustração, quando o cara parava de teclar comigo depois de trocarmos fotos (eu já fiz isso rsrs), decepção por conversas vazias que nunca saíram do virtual. Sem falar na indignação pela enxurrada de homofobia vomitada na descrição em muitos perfis. Por força das circunstâncias, passei os últimos 4 anos escravo do virtual. Me aceitei como gay aos 19, enquanto vivia em uma cidade do meio oeste paranaense, onde o meio mais fácil e quase único de conhecer gays, seja pra uma fast-foda ou um possível "namoro” - é a internet, nas suas mais variadas formas que citei acima (alguns preferem o zoológico municipal rsrs). Eu diria que 99% das “relações” que tive se deram por intermédio do virtual, num primeiro plano - só tenho dois episódios que se começaram fora do virtual, um é o M e o outro é foi um paraguaio, este último pode ser assunto para um possível post no futuro.

Poxa! Tenho 21 anos e não sei o que é um flerte.





















Sim... Isso é um desabafo.

Quero aprender e sentir o jogo de olhares, experimentar o cara a cara, interpretar a linguagem corporal, jogar o jogo de desejo.


  
***( Mudança de cidade. Menos 30 contatos de boys acumulados e conservados nos últimos 6 meses, entre eles transas fixas, possíveis transas, conversas que não passaram do virtual e alguns contatos de estimação.)

Gustavo

Autor

Poeira cósmica expressa no espaço-tempo.O que sou hoje, serei amanhã.

10 comentários:

  1. Então... eu sou você amanhã! :P
    Com a diferença que eu comecei um pouco mais tarde, mas em partes eu poderia ter escrito uma parte do teu texto, eu não cheguei a instalar esses aplicativos, não tenho sangue frio para tanto. Mas frequentei as salas de bate papo....

    Sinceramente, hoje... penso que nos deixamos nos seduzir pela aparente facilidade da sala de bate papo, e imagino dos aplicativos, mas se queremos estabelecer um contato real, esse não é o meio adequado. O lance é vencer os medos, procurar fazer amigos, sair... conhecer pessoas... para poder descobrir o que é um flerte, o que é o olho no olho!

    Que bom que você ainda é jovem e tem tempo de aprender e aproveitar isso... Vai a luta meu amigo!

    Abração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As minha experiências pessoais me mostraram que as relações que tive por meio de internet, não deixaram de ser virtuais, mesmo quando conheci pessoalmente os caras. Apagamos, passamos para o próximo, como deletamos um documento. E isso me incomodou durante um bom tempo, hoje, faz uns dois meses que não usei mais nada e aquela carência que eu tinha sumiu, não sei se é diretamente por isso, ou outra coisa, mas cada universo é único.
      Abraços!

      Excluir
  2. Confesso que eu sou total sem paciência pra flerte :p

    Até porque eu sou bem burro pra perceber quando alguém tá me flertando, e como tenho cara de paspalho, não consigo fazer olhar de sedução pra ninguém hahaha. Prefiro uma coisa mais direta mesmo.

    Apps de pegação me renderam muitos dramas tb, mas também me rendeu meu atual namorado, e estamos a 1 ano e meio juntos. Nunca se sabe...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não tenho sex appel para fazer uma coisa digna de cinema,mas não custa tentar pra saber.
      Tenho casos, que eu percebia o flerte, mas não acreditava ser para mim, já dei giros de 360º na discoteca pra ter certeza que era comigo, ai já era tarde demais.
      Eu já vi alguns casos de relacionamentos que surgiram por meio de app, como você disse nunca se sabe...Você é um caso raro.
      No meu caso as melhores histórias se deram ajuda da internet, acho que me apeguei a esse empirismo.

      Excluir
  3. Entendo como é. Não tá fácil kkkk Eu tenho 22 anos e não sei também, é meio estranho rs
    abraço afetuoso.
    dentrodabolh.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca é tarde pra aprender, mesmo que não se tenha aquele sex appeal
      Abraços!

      Excluir
  4. A minha historia nestes sites é muito recente, fracassada e bastante ingénua.
    Inscrevi-me no Manhunt há menos de 1 ano. Pensei que pudesse encontrar pessoas simpáticas com quem trocar ideias, discutir gostos comuns e eventualmente arranjar amigos gay, visto que já tenho namorado.
    Devia ter percebido antes que num sitio chamado "CaçaAoHomem" não é sitio apropriado para fazer amizades. Acredito que seja bom para uma fast-foda (Obrigado Dominus, adorei, vou usar o termo) e talvez, com muita sorte, venha algo mais a seguir, mas sem grandes esperanças.

    Já na vida real, ao vivo e a cores, na rua ou na mercearia, adoro um flerte. É do mais divertido e excitante que pode haver. Não tem que levar à cama, até porque sou fiel com quem ando, mas faz bem ao ego e anima o dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha.. Amigos é mais fácil tu encontrar numa praça do que no manhunt.
      Engraçado que os perfis de forma geral, mudam de cidade pra cidade.
      Na última cidade que morei, era sexo ou sexo, agora nessa cidade que moro agora, vejo uma quantidade muito grande de caras procurando relacionamento serio e amizade, se conseguem eu não sei, pq todos que converso com essa descrição, a primeira coisa que me perguntam é se sou ativo ou passivo. Acho que algo a mais se dá por uma relação que surge no dia a dia, até hoje vi poucos namoros que começaram por intermédio do virtual.
      Eu já tive situações em ônibus, mercados, mas por medo de interpretar algum sinal errado e acabar numa situação ruim,eu abaixo a cabeça e sigo em frente. Imagino que deve fazer super bem ao ego.

      Excluir
  5. eu sou o você do meio oeste paranaense, no sudeste paulista.

    abraço (:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora estou na Capital de Minas e as coisas por enquanto não parecem ser muito diferentes do oeste do Paraná.
      Abraços xD.

      Excluir